Oi, gente. Hoje eu vou falar sobre um livro que é meu amorzinho há muito tempo. Na verdade, nesse caso, são cinco livros em um!
O Guia do Mochileiro das Galáxias é um dos meus filmes favoritos e, até então, eu sonhava com o livro mas nunca tinha lido.
Eis que a Editora Arqueiro, incrível como sempre, trouxe para nós o Guia DEFINITIVO do Mochileiro das Galáxias, que reúne a trilogia de cinco livros dessa saga maravilhosa. Eu, é claro, não hesitei na minha escolha.


Como são cinco livros, vou falar um pouquinho de cada um, dando uma certa ênfase no primeiro. Até porque meu objetivo é despertar a curiosidade, então falar muito sobre os outros, talvez, gere algum spoiler. Não queremos isso, certo?
Mas, vamos ao que interessa.

Sinopse O Guia do Mochileiro das Galáxias:

Segundos Antes de a Terra ser destruída para dar lugar a uma via expressa interespacial, Arthur Dent é salvo por Ford Prefect, um E. T. que fazia pesquisa de campo para a nova edição de O Guia do Mochileiro das Galáxias. Pegando carona numa nave alienígena, os dois dão início a uma alucinante viagem pelo tempo e pelo espaço.

A sinopse é curta, mas explica o principal. Arthur Dent está tendo um dia péssimo, uma vez que a prefeitura quer demolir a sua casa para construir um desvio no lugar. Porém, o que ele não sabe, é que o dia dele seria péssimo de qualquer maneira. E, após algumas cervejas, Ford Prefect anuncia por que. O mundo vai acabar. E não podemos fazer nada.
Aliás, Ford é o melhor personagem. Ele é um E.T. que está na terra a fim de fazer pesquisas de campo para o novo guia, o que ele mesmo está reescrevendo. É ele quem ajuda Arthur a escapar do fim do mundo, pegando uma carona numa nave Vogon (os mesmo seres que destruíram a terra e, se me permitem dizer, eles não são chegados em humanos).

Mas a história daquela quinta-feira terrível e idiota, a história de suas extraordinárias consequências, a história das interligações inextricáveis entre essas consequências e este livro extraordinário - tudo isso teve um começo muito simples.
Começou com uma casa. 

Dessa forma, Arthur e Ford (e outros personagens vistos ao longo do livro) começam uma viagem maravilhosa pelo espaço, passando pelas coisas mais bizarras, atrás do sentido da vida, da resposta ao número 42 (que na verdade já uma resposta sem sentido para A Vida, O Universo e Tudo Mais) e tentando não morrerem.


Sério, é um livro que te leva direto pra outro mundo. É uma ficção científica que não se parece com ficção científica. Douglas Adams tinha um jeito irônica de explicar as coisas e um jeito mais irônico ainda de ver as coisas. Porém, ele é um livro cansativo e eu demorei um tantinho para ler. Acho que por ter muita explicação, rodapés imensos, nomes esquisitos, explicações esquisitas e coisas que você precisa parar pra pensar antes de continuar a leitura. O que, na verdade, não é ruim. Só demanda uma leitura mais profunda, com tempo e sem barulhos em volta. Adams foi um gênio ao trazer este livro até nós. Mais até por ser um tipo de escrita totalmente diferente do que estamos acostumados, com uma história nada clichê. É um livro inteligente onde todas as coisas - até mesmo as que parecem mais idiotas e sem sentido - se encaixam lá na frente e mudam todo o entendimento da situação. Se você gosta de ficção científica, física e comédia, esse é o livro certo para você.

A edição é linda, em capa dura do jeito que eu gosto. A arte da capa lembra muito a dos livros únicos, com o fundo galático, e ficou bem bonito. Na parte de trás tem a sinopse dos 5 livros. São 670 páginas, todas amarelas e a fonte é bem miudinha, mas tranquilo de ler. Os livros são bem compactados dentro do volume, acho que pra não ficar uma coisa imensa também.



Para o volume como um todo eu dou 5 estrelas e ainda favorito, porque é um livro atemporal. Eu acho ele incrível agora e, talvez, meus netos achem incrível daqui anos (até porque eu espero que eles leiam!).



Agora, pra deixar um gostinho de quero mais, a sinopse dos outros livros:

O Restaurante no Fim do Universo


Arthur Dent e seus quatro estranhos companheiros viajam pela galáxia a bordo da nave Coração de Ouro, em uma busca desesperada por algum lugar para comer. Depois de fazer a refeição mais estranha de suas vidas, eles seguem pelo espaço e acabam descobrindo a questão sobre a Vida, o Universo e Tudo Mais.

A Vida, o Universo e Tudo Mais


Arthur Dent passou os últimos cinco anos abandonado na Terra pré-histórica, mas ainda acordava todos os dias com um grito de horror. No entanto, talvez fosse melhor continuar nessa tediosa rotina do que ser arrastado para sua próxima missão: salvar o Universo dos temíveis e infelizes robôs xenófobos do planeta Krikkit.

Até Mais, e Obrigado Pelos Peixes!


Depois de viajar pelo Universo, ver o aniquilamento da Terra, participar de guerras interestelares e conhecer criaturas extraordinárias, Arthur Dent está de volta ao seu planeta. E tudo parece estranhamente normal - exceto pelo desaparecimento dos golfinhos. Disposto a desvendar esse mistério, ele parte para uma nova jornada.

Praticamente Inofensiva


Após muitos anos vivendo separados, cada um em um canto mais insondável do Universo, Arthur Dent, Ford Prefect e Tricia McMillan se reencontram. Mas o que deveria ser uma festejada reunião de velhos amigos se transforma numa terrível confusão que põe em risco - mais uma vez - a vida de todos.

São todos o máximo e não deixam nada a desejar! Por isso, leiam. É um livro ótimo para se ter na estante.

Beijos e até a próxima! <3

A Enciclopédia Galáctica define o amor como algo incrivelmente complicado de se explicar.Já o Guia do Mochileiro das Galáxias define amor como: geralmente doloroso, se puder, evite-o. Mas para o azar dos terráqueos, eles nunca leram o Guia do Mochileiro das Galáxias.



Oi gente! A ideia de escrever sobre esse tema me veio bem aleatoriamente. Acho que um post que vi no Facebook dizendo que "Ser fã não significa ser a Wikipédia ambulante do seu ídolo" ficou na minha cabeça, mesmo que sem querer.

Então, pensei em falar um pouco sobre as concepções de fã que vejo por aí, e também sobre que eu acho sobre isso. Meus exemplos serão, basicamente, de livros, porque de tudo o que eu gosto, acho que os livros são os únicos que recebem o meu fanatismo. Mas serve para tudo. Se seu ídolo for um cantor, um ator, um personagem... Você vai se identificar com pelo menos alguma coisa.


Muitas vezes vejo gente falando que "fã de verdade é...". Primeiro, acho que fã é fã. Não existe "de verdade" ou "de mentira". 

Segundo, não precisamos provar para ninguém que somos fãs de algo. Sabem por quê? Porque, para mim, o melhor de ser fã é ficar ansiosa para virar as páginas e descobrir mundos novos, é ficar absurdamente feliz a cada vez que vejo uma novidade sobre o que amo. É ver alguém com uma roupa/acessório/whatever do que sou fã e assustar a pessoa de tanto encarar. hahaha

Outra coisa que vejo muito: fã é aquele que tem tudo sobre seu ídolo. Eu discordo completamente disso. Ser fã é um estado, não uma classe social

Vocês podem me perguntar: mas eu não posso ter artigos de quem sou fã? É óbvio que pode. Só que isso não vai te tornar melhor ou 'mais fã' do que ninguém. 

Eu adoraria comprar todas as camisetas e canecas e almofadas e pôsteres dos livros que sou fã. Só que as condições não permitem. E por eu não ter, significa que não amo?


Por fim, acho que o que mais tem relação com a frase que me deu a ideia do post: fã tem que saber absolutamente tudo sobre seu ídolo. Como eu já falei antes, para mim a sensação de amar uma história é a coisa mais gostosa do mundo. E se você sente algo bom e indescritível, sim, você é fã. Não muda nada se você sabe ou não a cor da meia que o autor usou ao publicar seu primeiro livro. Sério.



Enfim, acho que ser fã está ligado ao ser e sentir, muito mais do que ligado ao ter. Eu me considero fã de Harry Potter, de Percy Jackson, de Jogos Vorazes... Por que eu li os livros? Não. De Jogos Vorazes, pelo menos, eu me considerava antes mesmo de ler os livros. Sou fã porque sempre que vejo algo relacionado a eles, sinto aquela sensação boa. Algo que, sinceramente, eu não sei descrever para vocês. Mas eu imagino que nem precise. Afinal, todo mundo é fã de alguma coisa, não é?

Falando nisso, me digam aí embaixo, de que(m) vocês são fãs? Sobre mim, é possível saber através desse post, claro, mas também através do "sobre", e de quase todas as postagens que fiz até hoje. Sempre dou um jeito de colocar meus amores no meio. 

Bem, espero mesmo que vocês tenham gostado do que trouxe para o blog hoje. Conversem comigo nos comentários, tá? Eu adoro saber o que vocês pensam sobre o que falo por aqui. *-*

Ah, vamos começar a postar duas vezes por semana agora. Mas você pode nos acompanhar pelo Instagram ou Facebook nos outros dias.

Não se esqueça de se inscrever no sorteio do livro Três Coisas Sobre Você! Ele fica aberto até amanhã!!

Beijos! :*